Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
A MULHER QUE ESCREVE


ACHADO DE OURO NA INTERNET

Terça-feira, a chuva que desde ontem cai pelas terras paulistanas ensopa a roupa vermelha de cento e oitenta e três papais noéis espalhados pela cidade, inunda sapatinhos virados de duendes e derruba asas mal pregadas de anjinhos que têm a boca paralisada pela mesmice das cantigas natalinas. E dá-lhe noite feliz!

Entediada até a alma, a medula, o último fio de cabelo pintado (by Elma Martins), fui fazer a mão pra ver se poderia me sentir um pouco menos pior, com a alma menos encharcada pelas águas paradas de sempre. No pequenino salão escolhido, ao lado da produtora onde tenho dado plantão, não havia nenhuma revista de fofoca, dessas em que a gente fica vendo mil caras e bocas e ao acabar de passar as páginas tem certeza de que não viu nada afinal. Hora de almoço com chuva, salão vazio, sem revistas. A manicure quietinha matutava sobre a vida. Dela. O que não cheguei a achar ruim porque também me sentia sem assunto. Até que pensando um pouco me lembrei! A salvação estava ali, à mão: o telefone que agora me conecta à internet. Claro! Vou ler qualquer coisa. E fiquei ali, virando páginas virtuais com os dedos cheios de algodão, pingando acetona sobre a tela azulada do meu super, moderno e ultrapotente celular... Ficaria uma hora assim: navegando por águas rasas e tolas se não tivesse batido de cara, de frente, nariz com nariz com um ACHADO. Pois anotem aí: http://vigilantesdaautoestima.zip.net/ 

E coloquem nos favoritos, cadastrem em casa, no trabalho, na escola, escrevam o endereço na mão esquerda para não esquecer, passem a informação para amigos e, coitados, os inimigos também, afinal eles também são gente, não são?

O achado é o blog dos "Vigilantes da autoestima" conduzido pela escritora, publicitária, e como ela mesma diz que agora está, jornalista Gisela Rao. É ótimo! Pulei de um texto ao outro, escalei meses passados, busquei aleatória entre datas diversas e tudo me achava naquelas descrições de pessoas que têm problemas com autoestima... ou seriam problemas com baixa autoestima? Pois tenho. Os dois, na alta e na baixa. Já achei tanta tolice de mim mesma que é até cansativo descrever mas farei um esforço: que não poderia ou não deveria usar vestidos e saias porque não tinha pernas legais (mentira da brava do meu ego amante da baixa autoestima), que não sabia dançar e nunca aprenderia, que não podia nadar, que não poderia nunca, nunquinha, correr, que não tenho voz boa para cantar, que nunca iria aprender a dirigir bem um carro, que sempre teria as mesmas limitações, que escrevia bem sim mas, sabe? só pro gasto... que não poderia nunca vencer alguns medos, que carregaria para sempre as mesmas culpas, as mesmas amarras, os mesmos traumas bobocas. Que não poderia ganhar mais, que não merecia amar melhor e ser mais amada, que não deveria abusar dos decotes, alças e do vermelho. Que deveria ser sempre uma boa menina, simples, humilde, agradecida por todas as incríveis conquistas e não exigir mais nada da santa vida. E assim vai e assim vamos... 

E vejo tantos amigos na mesma cantilena: não se acham bons o suficiente, nem merecedores a altura de. Não se dão direitos legais, não deixam empregos medíocres, embora reconheçam a mediocridade do trabalho e da grana, porque têm certeza de que nunca vão ganhar mais e nem mereceriam isso, claro! Outros ficam infelizes sozinhos ( nada contra os que ficam super bem e felizes sozinhos) porque não se acham merecedores de amor, de atenção, de cantadas e declarações. E mais outros se deixam ficar em relações tóxicas porque é isso mesmo que merecem da vida: sofrer as dores do avesso do amor. Enfim: a mim, a você, a todos nós que precisamos consertar o telhado da nossa baixa autoestima, pintar as paredes da nossa alta autoestima e começar a estimar-se pra valer, a um ponto em que tenhamos mais altas que baixas nessa bolsa de valores que sabe-se Deus como funciona, repito a dica: http://vigilantesdaautoestima.zip.net/.

E se você achou este texto uma tolice, se você é do tipo que tem o mundo e as pessoas aos seus pés, se você sabe lidar muito bem, obrigado, com sua autoestima, dê uma olhadinha no blog dos Vigilantes do mesmo jeito... Quem sabe você posta lá umas dicas imperdíveis, de como conquistar pessoas, como ser um profissional feliz, como ter somas consideráveis de dinheiro extra em aplicações variadas, como manter seu peso em dia, como envelhecer com beleza e gostosura, como escrever textos maravilhosos, como ter seu namorado/da rastejando e  mandando flores e torpedos de amor o todo tempo, como chegar ao fim de sua vida tendo realizado 98% de seus sonhos e desejos.

Eu quero aprender. Tudinho, tudinho... Especialmente a dizer NÃO. Mas não é um não baixinho assim, tímido, um não que se desculpa, que por si mesmo pede perdão e já se açoita... Quero aprender um não urrado, um não de leão com fome, leão bravo, com pata inflamada. E só quero dizer SIM quando for verdade, quando me fizer bem, quando houver contrapartida, quando calhar de ser bom, quando tiver que ser com vontade, quando meu SIM puder me libertar desse monte de NÃOS que aprendi a dizer para mim mesma, sempre justificando um merecimento pequeno, raso, sem troco. É sério quando escrevi outro dia aqui neste blog, baixem o cursor até lá, vai passando, vai passando, achou... que "POUCO É UM POUCO DEMAIS"...

(leia também: http://eraumavez-anacardilho.blogspot.com )



Escrito por ANA CARDILHO às 15h44
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]